Qual é a diferença entre Lawtech e Legaltech?

Você já ouviu falar sobre lawtech e legaltech? Se você não tem ideia do que se trata, saiba que esses termos têm conquistado cada vez mais espaço, dentro e fora da Internet, em colocações e debates sobre o futuro da advocacia. Assim como as fintechs, que combinaram as finanças com a tecnologia e mudaram o setor financeiro no Brasil, as lawtechs estão transformando o mercado jurídico. 

No entanto, se até agora os termos lawtech e legaltech não fazem sentido para você, não se preocupe! Continue lendo o nosso artigo, que explicaremos nos próximos tópicos tudo sobre o assunto! 

O que é legaltech ou lawtech? 

Usamos o termo lawtech para nomear startups que criam produtos e serviços de base tecnológica para melhorar o setor jurídico. No entanto, quando falamos em uma definição mais completa, lawtech ou legaltech são empresas que desenvolvem soluções que facilitam a rotina dos advogados.

Essas empresas conectam cidadãos e ajudam na forma de atuação do poder Judiciário. Um exemplo do trabalho de uma lawtech é o software de gestão. Ele serve para advogados e escritórios de advocacia. O programa também facilita os acordos judiciais e promove o encontro do cliente com o advogado mais qualificado. 

Como anda o mercado de lawtech no Brasil? 

Segundo a Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L), atualmente há no Brasil mais de 50 startups jurídicas. Ao que tudo indica, esse número vai aumentar. Enquanto o mercado cresce, novas soluções são criadas para tornar a sua vida de advogado ainda mais fácil. 

Só para você ter ideia, em 2010, os portais Angel List e Crunch Base contabilizavam menos de 20 legaltechs. Anos mais tarde, o mundo passou a ter mais de 1500 startups atuando no segmento jurídico. Aqui no Brasil, o mercado se desenvolveu graças à modernização do setor jurídico e a formação de novos advogados a cada ano.

Quais as vantagens da lawtech? 

Bom, você já entendeu que lawtech e legaltech têm o mesmo significado e que representam startups voltadas para soluções de rotina jurídica. No entanto, chegou a hora de saber como essas empresas ajudam no cotidiano dos advogados. Para você ficar ainda mais por dentro do assunto, saiba que as lawtechs brasileiras se dividem em sete categorias e vantagens. Veja:

Gestão de Escritórios e Departamentos Jurídicos

Para você dar conta do volume de informações do seu escritório, da sua equipe de trabalho e do clientes é necessário ter uma ferramenta que ofereça toda essa assistência. Assim, surgem os softwares de gestão voltados para os departamentos jurídicos e escritórios. Entre os benefícios podemos citar o aumento da produtividade e do faturamento do seu negócio jurídico. 

Automação e Gestão de documentos

Há lawtechs que criaram softwares desse tipo de solução. Esses programas automatizam documentos jurídicos e ajuda a controlar prazos, audiências e processos. E o maior benefício é a economia de tempo para o advogado. Assim, você pode se dedicar às questões que realmente importam na advocacia. O DataJuri que desenvolvemos é um exemplo de solução desenvolvida por uma lawtech.

Resolução de conflitos online

Muitas vezes o caminho do processo judicial é lento e não garante o direito do seu cliente. No entanto, há lawtech com soluções dedicadas à resolução de conflitos. Ela oferece softwares específicos e ferramentas para mediação, negociação de acordos e arbitragem. Há até legaltech que celebra acordos diretamente com empresas para que elas não tenham a necessidade de irem à justiça. 

Analytics e jurimetria

Há lawtech que oferece soluções que ajudam a compreender como os casos são julgados. Algumas plataformas medem a porcentagem de êxito de um processo que é baseado em jurisprudência. Um exemplo de lawtech desse setor é aquele que oferece um serviço de busca de jurisprudência e organização de repositório. 

Conteúdo Jurídico e Consultoria

Todo profissional deve se manter atualizado sobre a sua área de atuação. Por isso, é importante saber o que acontece no mercado jurídico como um todo. Isso é essencial para a carreira do advogado e para a saúde do seu negócio. É por isso que você encontra blogs e sites com notícias para advogados. Eles mostram informações e legislação. 

Nessa categoria de lawtech entram as empresas que prestam serviços de segurança da informação, consultoria e assessoria tributária. Quer um exemplo de site conhecido na sua área? O Jusbrasil que mostra consulta processual, notícias e artigos. 

Redes Profissionais

Você já parou para pensar como a tecnologia pode ajudar na prospecção de clientes? Há lawtechs, como do grupo de Redes Profissionais, especialistas no assunto. São empresas que criam redes de conexão entre os profissionais de direito e ajudam os advogados  a conquistarem clientes e pessoas ou até empresas que encontrem um representante para seus casos. Um bom exemplo de redes profissionais é a Jurídico Certo. Ela permite que você encontre com outros advogados e correspondentes jurídicos em todo o Brasil. 

Extração e monitoramento de dados públicos

Quanto mais você se torna disponível virtualmente, mais oportunidade uma lawtech tem para organizar e reunir as informações que beneficiam os advogados. Um exemplo são as ferramentas que ajudam com a gestão de informações como documentos de cartórios, publicações, andamentos e legislações. Há lawtech que oferece soluções para gestores com necessidade de tomar suas decisões de maneira estratégica.

Agora que você entendeu a diferença entre lawtech e legaltech, viu também que elas propõem soluções para melhorar a sua vida como advogado, não é verdade? No entanto, fique tranquilo, pois as novas tecnologias não vão roubar o seu emprego. Pelo contrário, a tecnologia tem o objetivo de valorizar o seu tempo, para que você priorize questões realmente importantes como atendimento ao cliente, definição de estratégia, inteligência tática e marketing jurídico. 

Gostou do nosso conteúdo? Tem mais alguma dúvida sobre diferença entre lawtech e legaltech? Comenta aí no blog!